Instituto de Ciência Política - IPOL

Extensão

O I Encontro de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (FORPROEX), realizado em 1987 na Universidade de Brasília, definiu a extensão enquanto uma atividade derivada da construção de um canal de comunicação entre universidade e sociedade, através de um processo “educativo, cultural e científico que articula relação transformadora entre universidade e sociedade”.

Por um lado, há a democratização do saber produzido pela vivência universitária, em suas atividades de pesquisa e ensino, na forma de conhecimento sistematizado. Ao mesmo tempo, a prática extensionista de difusão deste conhecimento, compartilhando saberes populares, fomenta a discussão universitária e permite uma reflexão mais profunda sobre as concepções construídas no interior do processo acadêmico. É fruto do extensionismo, portanto, a troca de saberes e experiências, impactando na reflexão dos envolvidos sobre a percepção do mundo.

Apesar da variação quanto ao entendimento do significado da extensão na experiência acadêmica das universidades brasileiras, é possível tomar essas reflexões como parte do processo de formulação e reconstrução ao qual a extensão está inequivocamente submetida.

As primeiras atividades de extensão promovidas pelo IPOL foram gestadas dentro do Programa de Educação Tutorial em Ciência Política (PET/POL). Desde então é possível falar da consolidação da extensão como parte das atividades desempenhadas por docentes e discentes do IPOL.

O envolvimento discente é incentivado através da concessão de créditos pela participação em disciplinas voltadas à extensão, bem como a concessão de bolsas de extensão, a partir de recursos do PIBex.

Você está aqui: Extensão